segunda-feira, 17 de abril de 2017

Eis aqui o meu coração



Eis aqui um cristal.

Uma utrassonografia do meu coração. Que de tanto ser serrado de dor, se tornou lapidado e multifacetado.

Eis aqui a certeza de que sem amor não há vida, não há luz e nem consciência. E com a esperança de que é possível a superação da dor, ofereço a minha gratidão a quem me fez descobrir a maior das minhas potencialidades, a de me transformar, moldar, crescer e amar.

"Sem amor eu nada seria", assim como, de fato, não era. E assim como quem abre portas e janelas para o sol entrar, o dia de hoje se tornou mais bonito, porque a ilusão acabou. A mente ao contrario do amor, é a ilusão de quem acha que sabe o que é melhor para si e para os outros. Mas contradizendo toda a minha suposta razão, através da renúncia compreendi em essência, o que muitos passam vidas sem entender.

Sim, só amor sabe o que é verdade. 

"O amor é o fogo que arde sem se ver
É ferida que dói e não se sente 
É um contentamento descontente 
É dor que desatina sem doer"

E e ele que me faz melhor a cada dia. É a razão do meu perdão e da minha solidão. É o ombro da minha mãe carente e é o que emociona o meu pai a andar por essa vida. É o que traz sentido para minha existência.

É o amor que motiva meu irmão em sua busca incansável e o que certifica a dedicação dos meus colegas no trabalho a cada dia. É o que me fortacele a usar as palavras certas a quem precisa e o que ainda me mantém viva acreditando na humanidade.

"É um não querer mais que bem querer
É solitário andar por entre a gente 
É um não contentar-se de contente 
É cuidar que se ganha em se perder"

O amor identifica, aceita e age, mesmo sem retorno, já que é qualidade do desinteresse. É feito de doação e não do mesquinho receber, porque se nutre de amor próprio.

Eis aqui um cristal, um coração e um intenso amor.

Tem o tamanho infinito da beleza, mas que, como todas as coisas belas, precisa de cuidados. Depois de lapidado, qualquer batida pode ser irreparável e por isso segue muitas vezes solitário. Delicadeza que alguns não conseguem anfitriar. Gentileza que muitos não conseguem  retribuir. Mas acredite, o maior beneficiado do amor é quem ama e não o ser amado. O ser amado, numa relação sem reciprocidade, não consegue compreender o quanto o amor enobrece.

Amor, o oposto do medo. O maior dos gritos de liberdade. Porque só é amor, quando é capaz de ser declarado, mesmo na escancarada vulnerabilidade. Acorrentado é quem triste de medo, mantém latente e escondida essa preciosidade. Livre mesmo é quem sabe amar.

Definitivamente, sem amor, (hoje percebo) eu nada seria.


segunda-feira, 20 de março de 2017

Passa tão rápido...


Meu Deus, como passa rápido... lembro-me como se fosse hoje, quando ainda criança, achava o máximo ter uma mãe de 30 e poucos anos. Hoje estou eu aqui com esses mesmos 30 e poucos anos da minha mãe.

Como se fosse ontem, lembro do meu primeiro dia na escola Ana Nery. A que se tornaria a minha melhor amiga na escola, chorava tanto que me dispus a segurar a sua mão, para que ela não se sentisse só. Alice era filha de militar e sentia medo do novo. Já eu? Queria desbravar o mundo. Trocamos experiências de poucos anos, e ali inciamos uma amizade que durou o suficiente para se tornar inesquecível.

Lembro-me também de outro dia ter usado o primeiro sutien, ter dado o primeiro beijo e ter sido pedida em namoro pela primeira vez. Quando o novo ainda não assustava, pois a vontade de viver atropelava todos os medos. Hoje o medo atropela a vontade de viver.

Lembro-me de ontem ter provado iniciado o primeiro dia de trabalho. Carteira com a primeira assinatura, uniforme bem passado e cheia de vontade de aprender. Meu primeiro salário? O que fazer com tanto dinheiro? Hoje às vezes ainda me faço essa pergunta.

Lembro-me de outro dia ter tirado a licença para dirigir. Quanto medo daquele instrutor... hoje toda quando tenho que renovar essa coisa, tomo um susto. De 5 em 5 anos me dou conta de que o tempo passa mesmo nas fotos 3x4.

Outro dia mesmo, fui morar em Brasília. Logo depois voltei pra Salvador. No dia seguinte fui morar em São Paulo e agora estou aqui em Campinas. Uma nômade de raízes no coração, que assusta quando pensa em quantas vezes mudou de casa, sem saber se a mudança maior ocorreu por dentro ou por fora.

Será que o tempo cega? Tem alguma mágica aí escondida, uma trapaça dos céus, quase sempre nos fazendo acordar quando já passou.

Ontem ainda, estava escolhendo o meu vestido de noiva... olhos brilhando pelo sonho a qualquer custo de ter uma família. E por ter um coração bom, tomei porradas que me fizeram mais forte, forte o bastante para compreender que eu merecia mais. E preferi por tanto, estar só, para poder ter a chance de quem sabe ser feliz de verdade.

Há quem me julgue pelo divórcio. Há quem pense que sempre serei capaz de dar "adeus" sem pensar duas vezes. Assim como o tempo, os julgamentos também são cruéis. Não recrimino esses pensamentos, afinal é mais fácil me rotular assim.

Lembro como hoje, o dia que parei de usar as lentes de contato. O dia que me dei conta de que havia perdido 15kg. O dia em que me olhei no espelho e percebi que sou mulher de verdade. Muitas vezes não sei o que fazer com tudo isso.

Só sei que tudo passa rápido e preciso fazer toda essa Graça de Deus valer a pena. Só tenho grandes lembranças nessa vida. As únicas dores de verdade foram de amor sem reciprocidade. Se todas as dores do mundo fossem de amor, talvez o mundo não estivesse entrado em colapso.

Eu só sei que tudo passa, e passa rápido. É preciso cada vez mais ser feliz com o dia de hoje e não permitir longos períodos de insatisfação. É preciso aprender a sorrir por pouco. E também não se aborrecer por pouco. Se preocupar apenas com o que vai gerar resultados, ou quem sabe deixar de se preocupar, já que a maioria das coisas independem de preocupação. Agir é mais importante que qualquer outra coisa.

Quando será que escreverei novamente sobre esse tema - tempo? Quais os novas lembranças estarei recordando? A vida há de ser celebrada a cada nova fase. E jamais se acomodar. Porque a cada dia uma nova chance de fazer diferente. A cada momento uma nova chance de sorrir e aprender nessa incrível jornada que só anda pra frente.

O tempo corre, ou melhor, "escorre pelas mãos". É preciso estar desperto para não carregar o peso das escolhas mal feitas, que no final, só quem vive mesmo, saberá.




domingo, 19 de fevereiro de 2017

Dessa vez estou partindo de verdade


"Não espere entender o meu caminho, se não foi você quem o percorreu"

Só eu sei a frustração que carrego na mala e nesse coração. Você acha que não, porque não sabe tudo que sinto do lado de cá. 

Sim, também sei que a minha visão é parcial. Respeito seus medos, mas não tenho com compreendê-las, pois não me parece racional não optar pelo que te faz feliz. Ao mesmo tempo que reconheço que não percorri o seu caminho, não sei se seu chão é de barro ou de asfalto, assim como você não sabe como é o meu.

Existe hoje uma incompatibilidade entre nossos objetivos e desejos. Precisamos reconhecer isso de uma vez por todas. Tentei aceitar as suas condições e continuar com você, mas não aguento mais tentar me encaixar onde não me cabe. As suas condições me colocam numa situação insustentável. Já as minhas, são de apenas te pedir que decida pelo seu coração. Se não quer me perder, agora é a sua vez de aceitar as minhas condições.

A verdade é que nossos caminhos se cruzaram em um determinado ponto. Quis seguir na sua rota, mas aí tem pouco espaço pra mim, não é mesmo? Talvez não esteja se dando conta, mas não quero mais lutar para me manter a qualquer custo num espaço menor que o meu tamanho. Aqui está apertado, entende? Desconfortável e bem injusto.

Mas você fez a sua escolha, de continuar seguindo da sua forma e agora os nossos destinos começam a ser diferentes. Não sei pra onde estou indo, mas sei que não estou mais ao seu lado. Você está distante, caminhando em outra direção. Dessa vez estou partindo de verdade. Levo na mala muitas lembranças de um futuro tão desejado, mas que não passou de um sonho bonito.

Não posso ser sua amiga, esse lugar também não é meu. Então te peço, pela última vez, que me deixe ir. Preciso me acostumar com a sua ausência, já que a sua forma de presença não me preenche por inteiro. Meu coração está carente e desamparado como nunca. Tenho acordado mais só do que mereço, e te garanto, amor é algo que não mendigamos, e espaço na vida de alguém, muito menos.

Não estou em busca de qualquer pessoa, apenas preciso de me sentir inteira, respeitada e em paz. Sinceramente, acho que não estou pedindo muito. Quero apenas sossego, pensar em coisas simples e sonhar novamente com algo possível. A felicidade pra mim é algo muito cristalino, ela está onde tem amor e verdade, onde se pode ser o que se é. Onde nos tornamos vulneráveis e sem medo, seguros e confortáveis.

Sim, estou indo e dessa vez não me peça pra ficar se não for pra sempre. Respeita o meu sofrimento. Reconheça que não mereço metades e que onde estou não é o meu lugar. A minha dor não é menor do que a de ninguém. É ilusão sua achar que sou mais forte e que por isso posso aguentar tudo.

Dessa vez vou lutar com todas as minhas forças, as poucas que ainda me restam, para seguir essa estrada solitária com firmeza. E quem sabe um dia nossos caminhos se cruzam novamente. Esse é o risco que você escolheu correr.

Farei o que você disse pra fazer: seguirei a minha vida. Dói tanto, mas prefiro que me machuque de uma vez, do que me mate aos poucos.

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Eu não quero mais


Eu não quero mais. 
Não nessas condições.
Me deixa seguir em frente.
Me esquece, por favor.

Estou acorrentada numa grande dor. O bom não mais compensa os estragos causados dentro de mim. Todos os dias busco forças e peço ao universo que me mostre o caminho. Não quero abandonar tudo, num ato irresponsável de fraqueza. Mas cada vez mais tenho pensado nisso. Só quero fugir...

A exaustão já toma conta de mim há meses. Você não se dá conta do que está fazendo, é uma pena. Se tivesse noção, preservaria as boas lembranças. A angústia da prisão que me encontro, me tortura diariamente.

Seja justo e correto como sempre foi e permita o rompimento dessa relação. O que você faz comigo, você jamais permitiria que fizessem com você. Estamos destruindo o que um dia construímos,  o que era esperaça e lindos sonhos, hoje são grandes feridas abertas, cheias de saudade e lágrimas cansadas.

Não agir também é uma decisão. Siga as suas escolhas. Respeita os meus sentimentos, por favor.

Eu não quero mais sofrer.

terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

Um dia tudo acaba



Sim, um dia tudo acaba.

O sol se põe.
A lâmpada queima.
O livro termina.
A dispensa esvazia.
A fruta apodrece.
As folhas caem.
A infância amadurece.
A inocência se esvai.
O brinquedo quebra.
A roupa desbota.
A água evapora.
O sorvete derrete.
O café esfria.
O fogo carboniza.
O cabelo cai.
A unha quebra.
O caderno acaba.
O copo enche.
A casa vende.
O endereço muda.
O carro sai de linha.
A moeda perde o valor.
O tempo esgota.
O destino chega.
O sentido acaba.
O erro ensina.
O contrato vence.
O Ego desiste.
A língua paga.
O músculo estafa.
A prioridade muda.
O olhar esmorece.
O sorriso cansa.
O encanto acaba.
O cristal quebra.
O sonho desvanece.
A oportunidade passa.
A beleza vira ruga.
E enfim,
A vida dá o seu último suspiro.


Enquanto isso, persiste:

O amor de verdadeiro.
A lembrança feliz.
O remorso do tempo perdido.
As escolhas mal feitas.
A saudade.

.

domingo, 5 de fevereiro de 2017

Todo excesso esconde uma falta


Bem assim, escondido entre a correria do dia a dia. Uma fuga: a falta de amor. Problemas mal resolvidos despejados em outros, simples de resolver. E assim questões irrelevantes tomam proporções incalculáveis, pelas diversas faltas que o homem não aceita enfrentar.

Qual o seu nível de auto conhecimento? Sabe resolver questões matemáticas, contratos leoninos, liderar uma grande equipe e até mesmo mediar discussões entre as pessoas difíceis. Sabe dar belos conselhos e compartilha de pensamentos admiráveis, mas não sabe sequer ouvir o próprio coração. Cuida por fora e descuida o de dentro.

E pelo excesso de aquisições, agrados materiais e mimos desnecessários, vai levando a vida na tentativa de suprir suas faltas. Não consegue ver que até seu pai foi mais feliz com muito menos, do que o que você já alcançou com tanto estudo e batalha. Ele te admira tanto, mas não tem a menor ideia do que se passa aí dentro.

Nada supre uma noite mal dormida, um amor mal feito, ou um desejo escondido. As conquistas materiais deveriam vir acompanhadas de maturidade interpessoal e assim, seriam aproveitadas em sua totalidade como prêmio de quem sabe viver e merece ser feliz. Mas a falta de entendimento de si, coloca nas suas mãos grandes presentes que, sem um coração preenchido de amor, não te permite aproveitar em sua totalidade. E de prêmio do lugar mais alto do podium, se limitam ao prêmio de consolação. Tantas coisas a sua volta e tanto vazio por dentro.

Uma ilusão, tão palpável, que preenche as necessidades egóicas por apenas um segundo e logo perde a graça. E mesmo percebendo que constuma ser assim, ainda sim prefere seguir a vida desse jeito, por fraqueza e covardia, deixando passar a grande chance de ser feliz.

Excesso de medo, falta de amor. Excesso de amigos virtuais e falta de conexões de alma. Excesso de responsabilidade e falta de tempo. Excesso de ilusão e falta de verdade.

O que assusta é que você, como tantas pessoas, vai ler esse texto concordando com tudo e talvez nem se identifique. Tanta imunidade ao que cura e tanta doença emocional em eclosão. Cegueira em olhos perfeitos.

Segue em frente e vive assim. Ostentando excessos e encondendo faltas. Pelo menos ninguém vai saber que você não é feliz... e se ninguém pensa isso, talvez você nem seja assim tão infeliz.

Acho que você esqueceu de quem você é, tem perdido aos poucos o que é essencial. E a cada dia vem se despedindo dos seus melhores valores. Talvez esteja até se tornando quem mais abomina, mais isso só você é capaz de avaliar. 

Sim, dura realidade de uma fuga constante. Certamente você vai se chatear de pensar em tudo isso agora, em pleno domingo em família, e continuará pelo caminho mais fácil postergando cada dia a sua felicidade. E ainda vai sentir raiva de mim, por estar lhe dizendo essas verdades, que tanto você foge encarar. E num ato radical, achará agressivo ter lido as minhas palavras. Mas lembre-se de que eu também não sei o que se passa aí dentro.

Então, mais uma vez te peço desculpas. O amor que em mim vibra só deseja felicidade. E se digo tudo isso, é porque ainda há tempo. Saiba que tudo que você viveu até agora foi importante para chegar até aqui. Você só precisa se convencer de que tudo acontece na hora certa e você está exatamente onde deveria estar: no momento exato para transformar.

quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

Com amor, despeço-me.


O olhar distante daquela mulher assusta. Tão forte em suas palavras e tão frágil em seus sentimentos. De tanto lutar, desistiu de falar e o silêncio agora toma conta.

Ela ama, hoje muito mais que ontem, como uma curva exponencial ascendente. Mas a doce decepção, de quem um dia acreditou, agora acompanha a amarga dor de desistir.

E diante de tanta frustração de quem fez o melhor, descobre que não foi o suficiente. Prefere por tanto, se limitar ao silêncio cheio de amor, mas também de despedida.

O que não tem sido percebido é que apesar do amor intenso, as marcas e cicatrizes podem nunca mais resgatar aquele sorriso e vitalidade. 

Um amor que não mais crê, por um logo tempo de sofrimento, pode gerar traumas na sua forma de ver o próprio amor. Se for irreversível, já era: ele quer pagar pra ver.

A despedida já está acontecendo, mas não é percebida, porque a dignidade dessa mulher é tão serena que dispensa escândalos ou teatro. Através do silêncio ela diz tudo o que precisa, já que suas palavras não mais possuem crédito.

Um belo dia tudo haverá mudado e ainda assim, haverá incompreensão. Porque a ferida já está aberta e sendo cada vez mais machucada por pequenas ações, de quem não sabe o que está fazendo. Pena que quem tanto a conhece espera pela perda e pela saudade, para descobrir a importância desta mulher.

O mais triste é que ela merece ser cuidada como um jasmim, mas a desatenção do outro vai fazendo com que os aromas e cores desapareçam. No lugar do jasmim, nasce capim. O que a nutre, de fato, está em falta. Ela só precisa de água fresca.

E sozinha ela segue, em silêncio ora, chora, perdoa e desiste. No seu coração tem tanto amor que ela não suporta mais sofrer. Ela finge que está tudo bem e ele finge que não percebe a gravidade da situação. Difícil vai ser resgatar o que ela foi um dia, quando ainda acreditava em tudo aquilo que vem ficando pela estrada.

O peso é grande, a cada dia o amor cresce, mas a decepção também. Ela prefere focar no silêncio e em sua respiração cansada, para que consiga chegar ao final dessa jornada. Espera ainda acreditar que pode existir amor de verdade, talvez em algum lugar.